Versão Beta
Close

Saiba mais sobre Dalaran, a cidade que sediará a nova aventura solo de Hearthstone

Dalaran nem sempre foi a cidade flutuante de magos que quase todos os jogadores de Wow conhecem. Conheça os mistérios da cidade que os jogadores de Hearthstone assaltarão!

Dalaran nem sempre foi a cidade flutuante de magos que quase todos os jogadores de Wow conhecem. Milhares de anos atrás Dalaran era parte do Império de Arathor, que floresceu quando o primeiro reino humano foi fundado por várias tribos, encabeçadas pela tribo Arathi, sob a liderança do Rei Thoradin.

Dalaran antes da sua destruição - Reddit
Dalaran antes da sua destruição - Reddit

Juntos como uma só nação eles ajudaram os Quel’Dorei, elfos superiores de Quel’Thalas, a repelir os trolls Amani, um inimigo comum de ambas as nações. Em troca, os elfos ensinaram 100 humanos o uso da magia arcana.

Esse ato de bondade dos elfos marcou o surgimento dos magos humanos e do Kirin Tor. Posteriormente esses magos decidiram fundar sua própria Cidade-Estado, chamada Dalaran, na esperança de poder usar livremente seus recém descobertos poderes. A cidade na costa do lago Lordamere logo se tornou uma rica magogracia, sedenta por conhecimento arcano.

Archimonde, Malygos e o Lich Rei

Durante a terceira guerra, como descrito na linha temporal de Warcraft III, Dalaran viveu seu auge, mas, com Arthas e o Flagelo devastando os Reinos do Leste, os cidadãos de Dalaran resolveram ajudar o povo de Lordareon. Lordaeron caiu e com isso Dalaran caiu também. Mesmo o Arquimago Antonidas, um dos líderes do Kirin Tor, não conseguiu impedir Arthas e seu comparsa Kel’Thuzad, um membro humano do Kirin Tor que escolheu explorar o lado sombrio da magia.

Lich Rei
Lich Rei
Arquimago Antônidas
Arquimago Antônidas
Kel'thuzad
Kel'thuzad

Com a ajuda do grimório de Medivh, um poderoso artefato Kirin Tor, Arthas e Kel’Thuzad conjuraram Archimonde, o Lorde Eredar e braço direito do próprio Sargeras, que destruiu Dalaran num estalar de dedos.

Deixados em ruínas, os membros restantes do Kirin Tor conseguiram criar um domo mágico ao redor do que sobrou da cidade. Com o passar dos anos eles lentamente reconstruíram a cidade, protegidos porém isolados pelo seu próprio poder.

Domo mágico protegendo dalaran. Fonte: Wowfan.cz
Domo mágico protegendo dalaran. Fonte: Wowfan.cz

Décadas depois, durante os eventos da “Ira do Lich Rei”, o Kirin Tor decidiu mover a cidade para o continente de Nortúndria. Até hoje não se sabe ao certo porque a guilda de magos resolveu flutuar a cidade. Contudo, especula-se que eles queriam estabelecer um quartel-general mágico para lutar contra o Lich Rei, anteriormente conhecido como Príncipe Arthas.

Nova Dalaran em Nortúndria
Nova Dalaran em Nortúndria

Música de Dalaran na época do Lich Rei

Muito linda, por sinal.

A motivação óbvia para a mudança do Kirin Tor para Nortúndria seria vingança pelo que Arthas fez a Dalaran durante a Terceira Guerra, mas outro nome de peso na história de Warcraft também teve uma participação importante nesses eventos: Malygos, antigo aspecto dragônico, enlouquecido pelos Deuses Antigos, desejava purificar o mundo de todos os usuários de magia que não fossem dragões. Isso é claro incluía o Kirin Tor, então eles resolveram voltar suas atenções ao tesouro de Malygos em Nortúndria, o Olho da Eternidade, para detê-lo junto com os mais corajosos campeões de Azeroth.

Malygos
Malygos

Com o passar do tempo, Dalaran se moveu novamente. Dessa vez a cidade flutuante foi proteger as Ilhas partidas da terceira investida da Legião Ardente, o exército de demônios que ameaça o povo de Azeroth há muito tempo.

Mais uma vez Dalaran passa a ser a principal Capital e ponto central para todos os jogadores de World of Warcraft. Com o tempo a cidade cresceu tanto em número como em diversidade cultural. Gnomos, anões e até elfos sangrentos passaram a viver lá, aprendendo sobre a magia arcana ou mesmo tentado ganhar a vida em profissões mais mundanas.

Artefatos? Tesouros!

Como se vê, Dalaran é o coração da magia arcana e do poder mágico em Azeroth. Mas o que procura Rafaam, o Supremo Arqueologista e principal antagonista de Ascensão das Sombras, ao invadir a cidade flutuante com seus comparsas malignos?

Rafaam
Rafaam

Muitos membros da comunidade já mencionaram um tópico muito particular quando se trata da franquia Blizzard: viagem no tempo! Como poderia Rafaam conseguir isso? É aí que entram os artefatos mais preciosos de Dalaran. Antes de mais nada o Olho de Dalaran.

Olho de Dalaran - Moonguard Wiki
Olho de Dalaran - Moonguard Wiki

Se você é velho o suficiente deve lembrar desse artefato da campanha dos orcs em Warcraft II. Criado pelo Kirin Tor para reconstruir e proteger a Cidadela Violeta -  fortaleza de Dalaran e quartel general do Conselho dos Seis - esse precioso artefato foi roubado pelo poderoso orc Ner’zhul e seus lacaios como parte do plano de abrir vários portais para outras dimensões e encontrar um novo lar para os orcs, após a derrota na segunda guerra.

Contudo, ele foi capturado por Kil'Jaeden, o ‘braço esquerdo’ de Sargeras, para se tornar o Lich Rei, dominar o Flagelo e aterrorizar Azeroth mais uma vez. Infelizmente, o Olho de Dalaran nunca voltou para sua cidade. No entanto, sua localização permanece desconhecida e, como não sabemos muito sobre a linha do tempo de Ascensão das Sombras, pode muito bem estar secretamente dentro dos limites da cidade!

Mas Ner’zhul precisava mais do que o olho para entrar em outras dimensões.

O Livro de Medivh é outro artefato que o Kirin Tor pode proteger em Dalaran. Como o nome sugere, o livro foi escrito por Medivh, o Último Guardião, um poderoso mago que desprezava o Kirin Tor e servia como protetor das terras de Tirisfal.

Como já dito, o artefato foi usado por Arthas para conjurar Archimonde e destruir Dalaran. A localização do livro também é desconhecida. O que se sabe é que Hadggar, aprendiz de Medivh, enviou o artefato de volta para o Kirin Tor após usá-lo para fechar o Portal Negro.

O último artefato usado por Ner’zhul para abrir as fendas dimensionais foi o Cetro de Sargeras. Como contado no Livro de Crônicas de Warcraft, o cetro foi forjado pelo próprio Sargeras, líder da Legião Ardente. Essa fonte de vileza foi usada por várias facções para explorar a fragilidade do tempo e espaço. Por sorte, o Kirin Tor recuperou o artefato e o mantêm a salvo desde então.

Rafaam, o Supremo Viajante do Tempo?

Isso é muita coisa pra roubar de uma cidade só! Mesmo que a gente não saiba o paradeiro exato de dois desses três poderosos artefatos é possível que Rafaam queira roubar o que puder para conseguir voltar no tempo. De fato, seu time de vilões pode compartilhar seu plano de reescrever suas histórias de vilania. Viagem no tempo tem sido um tema recorrente na história de Warcraft, e graças a base sólida de seu folclore podemos especular que seja uma ferramenta usada durante o Ano do Dragão.

E mesmo que Rafaam esteja a procura apenas de mais riquezas mundanas em Dalaran, a cidade continua sendo a mais rica em histórias comparada a qualquer outro ponto de interesse em toda Azeroth. Com certeza será um prazer experimentar outra história em um “universo alternativo de Warcraft” contada dessa vez em Hearthstone. Com sorte veremos se o Kirin Tor e o Conselho dos Seis conseguirão repelir Rafaam e salvar os artefatos que podem estar escondidos em Dalaran.

Confira um vídeo em inglês resumindo a história de Dalaran

Fonte: Hearthstonetopdecks


Acompanhe o Card na Manga nas redes sociais:  FacebookTwitter e Instagram 

Vivo o universo de Warcraft há 10 anos, e há 3 crio conteúdo de Hearthstone no Fansite Cristal de Mana, além de ser aspirante a pro player e streamer. Email: day@cardnamanga.com.br . Twitter: @_daycris_