Versão Beta
Close

O amor está no ar! Os casais mais interessantes de Azeroth em Hearthstone

Afinal de contas como os personagens nascem? Os orcs também amam!

por Octávio Augusto

O Amor está no ar em Azeroth

O mundo fantástico de Azeroth está repleto de heróis corajosos e aventuras fascinantes. Muito embora as guerras estejam, quase sempre, em primeiro plano desse cenário, o que seria delas sem o amor para servir de combustível para tanta bravura?

Thrall e Aggra

Fanart por Dossun
Fanart por Dossun

Selvagens, agressivos e verdes, assim poderiam ser descritos a maioria dos orcs de Azeroth. No entanto, você já se perguntou como eles nascem? Pois é, os orcs também amam!

Thrall é um antigo chefe de guerra da restaurada Horda xamânica, fundador da nação de Durotar em Kalimdor. Após a morte de ambos os pais, foi criado como escravo e gladiador, onde ele mais tarde se juntou ao Orgrim Doomhammer na libertação dos orcs presos após a Segunda Guerra, sendo nomeado Warchief após a morte de Doomhammer.

É o companheiro de Aggra, xamã Mag'har orc de Garadar em Nagrand. Ela foi encarregada de treinar Thrall nas artes xamânicas tradicionais. Apesar de um começo difícil, Thrall e Aggra cresceram mais perto um do outro enquanto ele se tornava verdadeiramente conectado com os espíritos e se tornou um poderoso xamã. Apesar das discordâncias iniciais, os dois rapidamente se uniram e começaram um relacionamento romântico, tornando-se companheiros de vida.

Durante seu treinamento de xamã, a Avó Geyah designou Aggra como mentora de Thrall e seu relacionamento com o aprendiz começou mal. Só depois de desenvolver certa afetividade, Aggra ficou caidinha pelo orc de olhos azuis, Thrall, e mais tarde ela admitiu que desejava se tornar sua companheira.

O relacionamento de Aggra e Thrall, como pode ser visto, é como qualquer outro em que o amor não surge instantaneamente, mas quando aflora os envolvidos tornam-se parceiros até o final de suas vidas.

Para esse casal que não se entendeu muito bem na primeira impressão, mas que com o tempo, foram se conhecendo e se apaixonando, nada mais justo que uma música que fale de demonstrar amor ao longo da vida.

Show me Love, de Robin Schulz, diz para o amor ser demonstrado na medida que se envelhece, assim como Aggra e Thrall que demoraram a descobrir que se tornariam companheiros, mas quando notaram o amor entre eles, foi inevitável o pensamento de envelhecer juntos, um na vida do outro.

Jaina Proudmoore e Arthas

Ilustração por Roman Kenney
Ilustração por Roman Kenney

Jaina Proudmoore é considerada uma das melhores magas de toda Azeroth e a mais poderosa feiticeira humana viva. Ela é o Senhor Almirante de Kul Tiras, o antigo líder do Kirin Tor de Dalaran, e da cidade portuária de Theramore. Formada como agente pessoal do Mago Supremo Antonidas, o falecido líder de Kirin Tor e Dalaran, ela foi enviada para investigar a praga causada pelo Lich Rei com o Príncipe Arthas Menethil, seu amigo de infância e um antigo interesse romântico.

Logo, sua amizade de infância, Arthas Menethil era príncipe herdeiro de Lordaeron e cavaleiro da Mão de Prata, era filho do rei Terenas Menethil II e herdeiro do trono. Ele foi treinado como um paladino por Uther, o Arauto da Luz e foi introduzido na Ordem da Mão de Prata.

Apesar de possuírem um amor de infância almejado por vários, o relacionamento de Jaina e Arthas não durou como se era esperado. Mesmo com toda a beleza que o príncipe entre os homens e a princesa da magia arcana possuíam, a ambição falou mais alto e o paladino foi corrompido pelo poder do Lich Rei.

Governando como o Lich King por anos, Arthas teve os últimos remanescentes de sua humanidade destruídos e foi derrotado em combate pelo Highlord Tirion Fordring e seus campeões da Luz. Abrigado pelo espírito de seu pai, Arthas Menethil morreu, deixando o manto do Lich King para ser tomado por uma alma nobre que conteria o poder do flagelo.

Mesmo sendo amigos de longa data e por isso já compartilharem de um afeto um com o outro, a relação do casal era benéfica para ambas as partes dos familiares. Como Jaina era aprendiz em Dalaran, e Arthas era filho do rei, seu casamento, provavelmente, beneficiaria ambos os lados.

Porém, tal benefício não foi levado em consideração por Arthas e Jaina, que se apaixonaram e se amaram da infância, até além da morte de Arthas.

Assim, essa amizade de infância que mais tarde tornou-se uma paixão que abraçou tanto Jaina quanto Arthas até seus momentos finais pode ser vista na música Photograph do Ed Sheeran.

Esse amor do casal, antigo e sagrado, é “guardado em um retrato” por Jaina mesmo após a morte de Arthas; o que mostra que, mesmo com a morte, o amor não se acaba e o amor dos dois era muito mais puro do que as famílias queriam que fosse, pois viam apenas o jogo de interesses.

Alleria e Turalyon

Ao contrário de Aggra e Thrall, Alleria e Turalyon não tiveram a mesma sorte de envelhecerem juntos. Ou será que tiveram?

Alleria é a mais velha das irmãs Windrunner e também a capitã de Silvermoon que liderou os seus rangers sob a Aliança de Lordaeron durante a Segunda Guerra. Assim, lidera um grupo de guardas-florestais elfos que tinha sido enviado para avaliar a situação pelo Conselho de Silvermoon.

Durante a invasão Orc, a maioria dos seus amigos e familiares foram mortos, depois disso, ela ficou obcecada pela vingança. Isso definiu sua vida futura para sempre, comprometendo ainda suas relações amorosas.

Turalyon, companheiro de Alleria, é um dos cinco primeiros paladinos dos Cavaleiros da Mão de Prata. Durante a Segunda Guerra com Orcs, Turalyon foi um famoso paladino que serviu sob Anduin Lothar. Após sua morte, Turalyon tornou-se o novo comandante supremo das forças da Aliança.

Turalyon estava apaixonada por Alleria e a elfa sabia disso, mas nenhum deles foi capaz de o admitir abertamente, principalmente porque Alleria só se preocupava com a sua vingança.

Quando a Aliança enviou uma expedição à Draenor para lidar com os Orcs, Alleria e Turalyon batalharam lado a lado. Só que depois que o conflito acabou, eles estavam presos naquele mundo, mas parece que foi a deixa para que o amor pudesse crescer, e eles até mesmo tiveram um filho chamado Arato

Entretanto, durante uma missão, Turalyon desapareceu. Alleria foi procurar por ele e também nunca mais voltou. Ninguém os viu em anos, mas presumiram que eles ainda estejam vivos em algum lugar, juntos.

Esse amor entre eles que perdurou acima de qualquer vingança, qualquer desavença e qualquer distância; que fez Alleria ir atrás de Turalyon em meio ao desconhecido pode ser evidenciado na música Send me an Angel dos Scorpions. A busca pelo “anjo”, representado por Turalyon, na qual Alleria mostra como no amor não há distância que separe seus parceiros. Embora perdidos no desconhecido, Alleria e Turalyon estão juntos e é o que importa.

Colaboradores da Comunidade Card na Manga