Versão Beta
Close

Conheça Galakrond, o progenitor dos dragões

Saiba mais sobre Galakrond, um dos dragões mais infames de Azeroth e destaque na nova expansão de Hearthstone: Despontar dos Dragões

Galakrond foi um proto-draco massivo, conhecido como Progenitor dos Dragões. Diz-se que a partir dele os Titãs criaram os Aspectos Dragônicos, rumor esse espalhado pelos próprios aspectos para manter a verdade sobre Galakrond em segredo.

Seu tamanho era maior do que todos os Aspectos combinados, tanto que o único ser que ele podia ser comparado era a si mesmo. Seu rugido podia ser ouvido a quilômetros de distância e o bater de suas asas criava ventanias poderosas. 

Galakrond
Galakrond

Galakrond nem sempre foi imenso, sua aparência era bela e delicada. A medida que ele consumia a força vital de outros proto-dracos, canibalizando sua essência e os deixando como não-vivos, Galakrond sofreu mutações horrendas em todo seu corpo (como membros e olhos extras) e sua pele começou a decair como se ele tivesse se transformado em um morto vivo, como suas vítimas.

História

Alvorada dos Aspectos

Galakrond, que caçava com seus companheiros proto-dracos e era visto como benevolente, repentinamente se tornou o terror de todos os proto-dracos da pré-história de Azeroth. Apesar de ninguém saber ao certo o que causou essa mudança, as palavras vagas do Observador Titã Tyr sugerem que ele é o culpado pelas ações e mutações de Galakrond, quando as coisas não saíram como planejado.

Um dia, quando dezenas se reuniram para caçar, Galakrond apareceu e tomou sua presa, aterrorizando a todos. O proto-draco Branco e Azul Malygos ficou curioso para descobrir porque Galakrond estaria caçando tão longe de seu campo de caça normal. Seu novo amigo Neltharion respondeu que lá havia mais comida. Malygos rapidamente retorquiu que era a comida deles e, além do mais, Galakrond estaria devorando outros proto-dracos. Além do canibalismo ser impensável para eles até então, os horrores não paravam por aí: aqueles devorados por Galakrond levantavam-se dos mortos, escravizados à sua vontade, sendo conhecidos como Não-Vivos.

Sob o comando de Galakrond os Não-Vivos caçaram e infectaram seus irmãos vivos com suas mordidas. O proto-draco Coros tentou imitar Galakrond acreditando que ele não iria devorar seus semelhantes. Pra isso Coros, em um encontro secreto com Galakrond, lhe contou sobre o plano de Talonixa, a líder dos proto-dracos vivos, de atacar e destruir Galakrond e os Não-Vivos. Galakrond retribuiu o favor devorando Coros e seus seguidores.

Talonixa descobriu sobre a traição de Coros e mudou o dia e local de ataque aos Não-Vivos. Mesmo assim, Galakrond usou os mortos como isca, irrompeu do chão quando o exército estava posicionado e rapidamente os destroçou. Apesar de ter derrotado Talanixa e suas tropas, Galakrond não conseguiu devorá-los graças ao esforço conjunto de Malygos, Nozdormu e Neltharion. Quando Malygos sai em busca de Ysera e Alexstrasza, Galakrond acaba enfrentando os futuros aspectos numa batalha feroz, sendo afugentado por Tyr depois de ser atingido por seu poderoso martelo.

Tyr
Tyr

Algum tempo depois Tyr encontra os cinco proto-dracos e os informa que Galakrond dormia sob uma cadeia de montanhas ao norte e que era o momento perfeito para atacá-lo. Eles então seguem até lá e confrontam a criatura. Durante a batalha Tyr perde seu martelo e seu artefato (Spark of Tyr). Ao tentar recuperá-los Tyr se expõe à bocarra de Galakrond, que arranca e engole sua mão e seu artefato. Satisfeito com a refeição e sofrendo novas mutações, Galakrond não nota a fuga de seus inimigos do campo de batalha.

Após recobrar a consciência Galakrond encontra dificuldade para se alimentar, uma vez que os “vivos” passaram a se esconder melhor. Com sua fome insaciável crescendo cada vez mais, e pra surpresa até dos futuros aspectos, Galakrond começa a se alimentar de seu próprio exército, devorando os Não-Vivos, únicas criaturas que não se esconderiam dele, poupando apenas aqueles que serviam como batedores na caçada por sua presa favorita: os proto-dracos vivos.

Eventualmente Galakrond e o resto de suas forças foi atacado pelos futuros aspectos, no que ficou conhecido como Ermo das Serpes. Durante a batalha Malygos conseguiu empurrar uma pedra na garganta de Galakrond o que não só fez com que ele parasse de atacar os proto-dracos, como o fez perder o controle sobre os Não-Vivos, que passaram a brigar entre si. Apesar dos esforços da criatura, os sopros de gelo de Malygos impediram que a pedra fosse retirada, se alojando mais fundo quando Neltharion explodiu um não-vivo nela, fazendo finalmente Galakrond sufocar e morrer.

Fragmento de Galakrond
Fragmento de Galakrond

No intuito de manter a verdade sobre Galakrond em segredo e prevenir que outros tentassem seguir seu caminho, os Aspectos espalharam o rumor de que os Titãs os criaram a partir de Galakrond.

Dias atuais

Mais de dez mil anos depois, uma taunka chamada Buniq tentava se provar digna de seu companheiro Akiak. Akiak junto com Trag encontraram o corpo de Buniq perto dos restos mortais de Galakrond na Ermo das Serpes. Um fragmento de osso foi retirado de seu corpo por Trag que o guardou.

Espírito de Taunka
Espírito de Taunka

Algum tempo depois, o Lich Rei incunbiu Grão Necrolorde Antiok com a tarefa de trazer Galakrond de volta dos mortos. Esses planos foram desvirtuados pelos aventureiros, que derrotaram Antiok e interromperam seu ritual.

Derrotando Antiok - Imagem
Derrotando Antiok - Imagem

Quando Asa da Morte atacou o Templo do Repouso das Serpes pela segunda vez, o cemitério de Galakrond foi usado pelo Martelo do Crepúsculo como um ponto central nos ataques a Thrall e seus companheiros.

Após uma reunião entre os antigos aspectos, Kalecgos descobriu a Spark of Tyr - e posteriormente a própria Mão de Tyr - dentro do esqueleto de Galakrond. O artefato mostrou a Kalecgos visões de um passado distante, que o levou a descobrir a verdade sobre Galakrond. As visões abalaram Kalec e Jaina Proudmore viajou até o esqueleto de Galakrond para descobrir uma forma de ajudar seu amado.

Juntos Jaina e Kalec encontraram o fantasma de Buniq enquanto exploravam o cemitério (Jaina achou que poderia ser o próprio Tyr disfarçado). Após usarem o artefato para lembrar aos antigos aspectos de suas responsabilidades, Kalec acredita ter visto Tyr parado no alto do Descanso de Galakrond.

Fonte das imagens: Gamepedia e WoWhead

Traduzido e adaptado de: wow.gamepedia.com/Galakrond

Vivo o universo de Warcraft há 10 anos, e há 3 crio conteúdo de Hearthstone no Fansite Cristal de Mana, além de ser aspirante a pro player e streamer. Email: day@cardnamanga.com.br . Twitter: @_daycris_