Versão Beta
Close

Entrevista com o Game Designer Sênior: Peter Whalen

Confira nossa entrevista exclusiva com o Game Designer Sênior de Hearthstone!

Nesta terça-feira, tive a oportunidade de entrevistar Peter Whalen, o Game Designer Sênior de Hearthstone, e foi ele quem liderou a criação da nova expansão Projeto Cabum e várias outras expansões. Conversamos um pouco sobre a nova expansão, o set Clássico, Hall da Fama entre outros assuntos, foi um papo bem legal. Dá uma conferida:

Card na Manga “Você acha que o Projeto Cabum é a expansão mais forte deste ano?”

Peter Whalen “Haha! Hum, é certamente a expansão que eu estou mais empolgado! Existem grandes coisas malucas acontecendo, com os feitiços lendários significa que iremos ter grandes efeito como ‘Todos lacaios do seu deck custam (1)’ ou ‘Compre todo seu deck’! Existem todos os tipos de coisas malucas acontecendo no Projeto Cabum! Se é a expansão mais forte? Nós iremos ver! O meta é realmente definido pelos jogadores e os cards se tornam poderosos em contexto com outros cards. Se tivermos um meta muito agressivo, é difícil para cards muito caros, cards muito pesados serem muito poderosos. Já se tivermos um meta mais lento, é fácil para cards pesados se tornarem muito fortes. Então, meio que depende de como as coisas irão se assimilar. Com certeza há muitos cards poderosos e empolgantes no Projeto Cabum, mas haviam também muitos cards fortes em Bosque das Bruxas... e em Kobolds & Catacumbas... e em Cavaleiros do Trono de Gelo. Há muitos cards poderosos no formato Padrão, então irá depender apenas de como o meta irá se consolidar.”

Card na Manga “E existe algum card que preocupa o time de desenvolvedores do Projeto Cabum?”

Peter Whalen “Particularmente, não há nada que estou preocupado. Nosso time final testou muita coisa, mas ao mesmo tempo há muitos cards incríveis e malucos, existem MUITOS jogadores no mundo que irão testá-los de novas e diferentes maneiras, combiná-las de maneira inteligente. Essa é uma parte bem divertida deste jogo, onde você tem todos estes cards e irá tentar descobrir o que os desenvolvedores deixaram passar: ‘Quais são as combinações mais malucas que podemos fazer?’. Então, não existe um único card que eu estou bastante preocupado, mas ao mesmo tempo existe tanta coisa maluca que os jogadores podem fazer que me deixa empolgado para ver o que as pessoas irão criar. Também, um pouquinho preocupado que exista tantas coisas malucas acontecendo no Projeto Cabum.”

Card na Manga “Como você encontra um balanceamento entre cards divertidos e cards competitivos?”

Peter Whalen “Bem, o objetivo é torná-los um mesmo card. Você sabe, cards divertidos podem ser competitivos e as pessoas podem desfrutar deles mesmo jogando nos níveis mais altos. Então, sempre há um mix entre quais tipos de cards nós iremos lançar para os diferentes tipos de jogadores. Há cards que serão mais fortes que outros, cards que irão motivar jogadores a criarem novos arquétipos, cards que terão um papel principal em novos arquétipos. Mas existem outros que são mais experimentais, que não está exatamente claro onde eles irão se encaixar. Jogadores podem tentar novas maneiras de usá-los e algumas vezes podem acabar se revelando bem fortes, outras vezes podem acabar sendo cards que irão ser utilizados uma vez a cada lua cheia. As vezes, esses são os cards que evoluem mais durante seu tempo de estadia no formato Padrão ou até depois, no Livre, onde você irá ver cards que ninguém utilizava no Padrão mas que agora são extremamente poderosos. Algumas vezes nós decidimos apenas fazer cards malucos ou bobos que temos certeza que nunca irão ver jogo competitivamente, mas abrange uma grande variedade de tipos de jogadores. Sim! Sempre irá ter cards deste tipo em cada expansão, eu acho o Meca’thun um bom exemplo: Um card incrível, mas que pode não ser necessariamente o card mais competitivo. Rojão, o Magnífico é um card BEM estranho, BEM diferente e incrivelmente atraente para muitos jogadores, mas que definitivamente não foi criado para ser um card com foco competitivo.”

Card na Manga “Você acha que o set Clássico restringe o design de cards ao criar uma nova expansão?”

Peter Whalen “Um pouco, sempre que temos um novo card em Hearthstone ele restringe o design de cards futuros. É apenas a natureza de se ter cards que interagem uns com os outros, mas o set Clássico faz muitas coisas boas para o Hearthstone. Ele fornece uma base para que, se você é um jogador retornando após um tempo sem jogar, você sabe o que Magos fazem, o que Druidas fazem, o que Bruxos fazem. Ele fornece essa fundação. Ele também fornece uma fundação no Lore de Warcraft: Onde há Bolas de Fogo! Crescimento Silvestre! Existem Dragões gigantes! Ele possui todos os tipos de coisas que você já está familiarizado em World of Warcraft e que existem também em Hearthstone. Além disso, ele também cria uma base na sua coleção, onde você possui uma grande quantidade de cards que poderão ser utilizados num futuro. Você saberá que a maior parte dos cards do Clássico, com exceção de um punhado de cards que rotacionamos para o Hall da Fama, poderão ser utilizados nos seus decks futuramente. Então, eu acho que estas são coisas realmente valiosas que o set Clássico faz para nós e isso faz valer a pena suas restrições no design de cards.”

Card na Manga “E vocês se preocupam em rotacionar cards demais para o Hall da Fama?”

Peter Whalen “É algo que é importante balancear. Você perguntou sobre o quanto os cards restringem o design, alguns cards restringem mais do que outros e esses tendem a ser aqueles que movemos para o Hall da Fama. Os cards que são onipresentes, que se encontram em todos os decks, como era o Draco Lazuli. Ele era um card muito, muito comum! Alguns outros cards eram mais estranhos e possuíam interações que realmente restringiam coisas que poderíamos fazer, como o Oráculo da Luz Fria. Ele é um exemplo de card que, quando criávamos sinergias com Grito de Guerra ou construíamos cards em volta dos Gritos de Guerra, ele era sempre a melhor opção para se utilizar. Além de muito comum, não era também a mais divertida maneira de se jogar, onde você apenas queimava o deck do oponente e o impedia de jogar o cards, além é claro do dano de fadiga. Não era muito divertido para eles. Então, isso é praticamente o que pensamos quando olhamos para o Hall da Fama. Por outro lado, é importante que as classes tenham suas bases, então nós nos preocupamos muito sobre exatamente quantos cards nós rotacionamos para o Hall da Fama. É algo que pensamos muito sobre.”

Card na Manga “E qual card você acha que é o mais fofo nesta expansão?”

Peter Whalen “Hahahaha! Oh! Ok, me deixe escolher dois! Lumi Fiel é o card colecionável, que você pode abrir em pacotes, que eu acho que é o mais fofo! E eu acho que os Microrrobôs que Ameaça Replicante gera são adoráveis também! Então, vamos primeiro com Lumi Fiel, mas os Microrrobôs estão bem próximos.”

Card na Manga “Vocês já haviam comentando que estavam criando cada vez menos lacaios com Investida e cada vez mais lacaios com Rapidez. É seguro falar que não irão surgir mais lacaios com Investida em expansões futuras?”

Peter Whalen “Rapidez é uma mecânica muito mais saudável que Investida. Rapidez é muito divertida pelo fato de você jogar um lacaio e ele atacar imediatamente, assim como Investida, mas não possui todos os perigos de combos que matam em um único turno e de decks hardcore que apenas atacam o herói inimigo que já vimos no passado com a mecânica de Investida. Eu não quero dizer que nós nunca mais iremos fazer cards com Investida, Investida ainda é uma mecânica do Hearthstone e eu não quero me restringir em nunca mais usá-la, mas Rapidez é definitivamente uma mecânica mais saudável e é muito mais a direção estamos seguindo para o futuro.”

Card na Manga “E sobre o Modo Torneio, você poderia nos falar algo?”

Peter Whalen “Eu não tenho nada a adicionar ao que já foi falado sobre o modo torneio. É definitivamente algo que estamos de olho e nós provavelmente teremos mais atualizações no futuro.”

Jogador profissional e streamer. Email: pdantas@cardnamanga.com.br . Twitter: @HeisenbergCWG