Versão Beta
Close

Tavern Brawl - Saiba dos detalhes sobre o evento no Rio de Janeiro

Saiba como foi o evento Tavern Brawl, que aconteceu no Rio de Janeiro neste final de semana!

A primeira edição do Tavern Brawl aconteceu no último sábado trazendo muito conteúdo para quem adora o card game da Blizzard. As qualificatórias levaram 7 competidores para o confronto presencial na ESPM Rio de Janeiro. O evento começou com um quiz do qual distribuiu brindes oficiais da Blizzard. Entre os presentes estavam imãs temáticos de Hearthstone, camisas, pôsteres oficiais, chaveiros e muito mais - todos licenciados. Como era de se esperar, todos ficaram bem animados quando as competições começaram. Todos os classificados estavam presentes, exceto Kaaazz, que se ausentou por motivos pessoais. Os participantes são: Rugal, Madruga, Gil, Andafern, Legendary, Helius, Ricsen e Sr.Denny.

Na parte da manhã dois confrontos aconteceram. Rugal vs. Madruga foram os primeiros a entrar na taverna. Rugal manteve posição defensiva mas todas suas jogadas foram respondidas com facilidade. Madruga manteve a calma e seu druida impediu que o oponente se estabelecesse. O destaque vai para o Lich Rei, do qual surgiu na maioria das vezes nas partidas. O placar fechou com 3 a 1 a favor de Madruga.

Decks utilizados:

Tavern Brawl Deck 01 - Madruga
Decks do competidor Madruga

 

Tavern Brawl Deck 02 - Rugal
Decks do competidor Rugal

Os confrontos ficaram ainda mais estreitos. Gil e Legendary suaram até o último momento. Não foi nada fácil, ambos estavam muito bem. O bruxo de Gil começou levando vantagem, mas a Assassina e o Caçador de Legendary na segunda e terceira partida mostraram-se mais efetivos. Na segunda partida, por exemplo, Gil abriu muito a guarda, deixando seu herói tomar muito dano direto - ele acumulou um bom número de cards, mas eles não o fizeram resistir até o final. Mesmo depois do erro, ele igualou o resultado com um 2 a 2, e na partida final seus totens do xamã deram muita vantagem no início - o que foi destruidor para Legendary que não conseguiu se reestabelecer. O ponto alto foi a curta duração da última partida, da qual Giu trouxe um combo com as cards inovador com Cadaverina, Enguia Faischarco e Poder Terrano, resultando em 16 de dano dano direto em apenas um turno.

Decks utilizados

Decks do competidor Gil
Decks do competidor Gil

  

Decks do competidor Legendary
Decks do competidor Legendary

As primeiras atrações da manhã encerraram-se com mais sorteios de produtos oficiais e distribuição de brindes. A parceira RedBull também ofereceu energético para todos os presentes.

Logo na parte da tarde, a entrevista com Gustavo Nader trouxe um pouco da sua história. Ele explicou para os presentes sobre como é o mercado de dublagem e localização dos jogos. Fizemos também uma entrevista que você pode conferir aqui. Nader explicou que dirigiu dublagem de jogos de grandes empresas, como Blizzard Entertainment, CD PROJEKT RED, Riot Games, dentre outras. Seus projetos mais conhecidos são World of Warcraft, League of Legends, Hearthstone e Diablo III, mas seu portfólio vai muito além destes. O diretor de dublagem reforçou que nada é exatamente como se parece, dando o exemplo de J.R.R. Tolkien, que deixou um “manual de como traduzir” sua obra em outras partes do mundo - o que ele acredita ser um dos primeiros indícios da prática de localizar - e não só traduzir ao pé da letra. Os personagens e locais de World of Warcraft seguem esta linha de raciocínio, porque assim como Tales de Mileto, que era conhecido por ser alguém da onde vinha, os nomes destes precisavam fazer sentido por alguma característica maior - nascendo assim as adaptações como Illidan Tempesfúria, Sylvana Correventos e Ventobravo.

A aprovação das dublagens são altíssimas, como algumas pesquisas mostram. O amor pelo que se faz é a resposta dessa aprovação. Nader deixou claro que a vocação e o sacrifício, definindo cada uma dessas palavras, fazem o profissional que ele é, deixando claro que também é o que ele sempre buscou ser. Parafraseando Nietzsche, reforçou “A arte existe para que a realidade não nos destrua”. A palestra encerrou com um tom emocional e motivacional. Perguntas e respostas foram feitas com o público do local, garantindo risadas e dúvidas respondidas.

Como esperado, mais brindes distribuídos na parte da tarde, atando a ansiedade dos espectadores, as competições voltaram, mas nem todas as partidas foram exibidas em vivo por estarem acontecendo simultaneamente.

Andafern e Ricsen foram os próximos na fase de eliminatórias. O deck de Ladino da Andafern permitiu um ponto de vantagem sobre Ricsen. O ponto alto foi a aparição da lendária e cômica card Leeroy Jenkins, combinando com muito dano direto da heroína Valira. Ricsen estava quase perdendo na segunda rodada, pois Andafern o surpreendeu com uma jogada que trouxe diversos lacaios com provocar utilizando a Peste Incontrolável. Mas mesmo assim ele não deixou se intimidar! Seu caçador reviveu mais zumbichos, além dos seus roubos de vida decisivos e a lendária Miráster Luna que encheu suas mãos de cards.  Ele empatou e virou por 3 a 1 nas partidas posteriores.

Decks utilizados:

Decks da competidora Andafern
Decks da competidora Andafern

 

Decks do competidor Ricsen
Decks do competidor Ricsen

Sr. Denny e Helius foram os últimos a jogar dos 8 classificados, mas o jogo não foi ao ar. O confronto foi rápido e deixou claro que Sr. Denny não veio para brincar. Ele foi classificado com um placar de 3 a 0.

Os decks utilizados foram:

Decks do competidor Helius
Decks do competidor Helius

 

Decks do competidor SrDenny
Decks do competidor SrDenny

O Encontro Fireside colocou o público geral para competirem entre si, o que animou bastante quem estava somente assistindo os profissionais. Além de ganharem cards exclusivos só por participarem do Fireside, os vencedores levaram bonecos da Funko e outros prêmios que são tão raros que nem são encontrados em lojas comuns. As semifinais foram emocionantes. Madruga e Gil garantiram aos jogadores muita adrenalina com um jogo acirradíssimo. Os decks, que informamos acima, retornaram e ambos não deixaram espaço para criar uma grande vantagem. Gil, no final das contas, levou a melhor sobre Madruga, garantindo um placar de 3 a 2. Um dos melhores jogos do campeonato!

Já do outros lado na semifinal, Sr. Denny confirmou o favoritismo, passando com facilidade do seu oponente Ricsen. Seus combos com os decks de druida e bruxo foram cruciais para a vitória. Sendo assim, os dois finalistas foram Gil vs. Sr. Denny. A grande final ocorreu às 19:30h, e você confere os últimos minutos do torneio do Tavern Brawl na página da e-Sports Cups.

O evento chegou ao fim com a última leva de distribuição de brindes, além de uma grande selfie de todos reunidos em comemoração a mais um ano de novidades e diversão de Hearthstone. É válido lembrar a ação só veio a ser possível pelo esforço da Híbrida ESPM, pela e-Sports Cups e também da e-FERJ, incluindo o apoio da Quero Preço, RedBull, BureauRio, Hamburgueria da Alfândega, Studio D e da DING. Os organizadores já planejam uma segunda edição.

Tavern Brawl no Rio de Janeiro
Tavern Brawl no Rio de Janeiro

 

Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 02
Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 02

 

Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 03
Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 03

 

Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 04
Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 04

 

Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 05
Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 05

 

Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 06
Tavern Brawl no Rio de Janeiro - Foto 06

 

Tavern Brawl - Palestra com Gustavo Nader
Tavern Brawl - Palestra com Gustavo Nader

 


Acompanhe o Card na Manga nas redes sociais:  FacebookTwitter e Instagram 

Levou seu amor por games tão adiante que fez disso sua profissão. Manja das artes ninjas do design e é considerado o maior tiozão da taverna. O deck de Murloc sempre será o melhor. Acredita fielmente que Saurfang é chefe guerreiro que a Horda merece