Versão Beta
Close

Conheça os brasileiros que vão nos representar na Blizzcon 2018 no HGG!

Conversamos com os brasileiros que estarão na Blizzcon 2018 no Hearthstone Global Games! Rodrigo Perna e os 3 Lucas: Rase, Neves e CRT! Saiba mais!

No final de setembro quatro brasileiros fizeram história ao se classificarem para o Global Games de Hearthstone. Em suma, eles estão entre as oito melhores equipes do card game em todo o mundo e de malas prontas para a Blizzcon 2018, que rola em 2 e 3 de novembro, onde vão representar o Brasil e lutar pelo equivalente a R$ 200 mil reservados ao grande campeão.

A equipe de cada país é formada por quatro integrantes. Um deles é o chamado âncora, que é escolhido de acordo com os resultados obtidos na última temporada. Completam a formação três jogadores selecionados via votação popular.

O quarteto brasileiro formado por Lucas ‘Rase’, Lucas ‘CRT’, Lucas ‘Neves’ e Rodrigo ‘Perna’ participou da fase de grupos e obteve a classificação inédita para a final com apenas uma derrota. Nada mal considerando que nada menos que 48 equipes estavam no páreo.

O Card na Manga conversou com cada um dos integrantes para conhecer mais sobre eles e destrinchar a épica jornada que os levou até a Blizzcon:

Lucas 'Rase'
Lucas 'Rase'

Lucas 'Rase'

O âncora da equipe brasileira é o Lucas 'Rase'. No último ano ele foi o campeão da Copa América de Hearthstone e do Brasil Premier League, se tornando o principal nome dentro do cenário brasileiro de HS. Do alto de seus 29 anos, ele já se formou em Administração de Empresas e possui duas pós-graduações. Seu principal passatempo, fora Hearthstone, é praticar esportes, qualquer um deles, do Tênis ao Muay Thay. Aliás, por conta deste último ele recentemente lesionou o joelho, algo que inclusive já havia acontecido antes. O diagnóstico diz que ele precisa fazer uma operação, mas com as viagens constantes por conta dos campeonatos ele decidiu esperar um pouco mais. Sua carreira nos esports começou bem antes do HS. Ele já era um jogador profissional de futebol digital quando em um treino na sua casa, em 2014, um amigo apresentou o novo card game da Blizzard. Um ano depois ele decidiu focar no HS  e, desde então, participa de todos os campeonatos possíveis.

Lucas CRT Foto
Lucas CRT Foto

Lucas 'CRT'

Com apenas 18 anos, o “menino prodígio” mora com os pais e a irmã.. Ele joga Hearthstone desde o beta fechado, mas o tempo para se dedicar está diminuindo: CRT está no 3º período de Engenharia Civil na UFF(Universidade Federal Fluminense) e… bem, ele precisa estudar. Nos fins de semana, passa grande parte do tempo com sua namorada e as vezes jogando (outros jogos) com os amigos. Mesmo assim, ainda se dedica bastante ao Hearthstone. Em um dia normal, sua vida é ir para a faculdade e, ao voltar, jogar Hearthstone até a hora de dormir. A exceção, como você pode imaginar, é o período de provas. 

Lucas Neves
Lucas Neves

Lucas Neves

Aos 21 anos, Lucas Neves cursa Economia na UFJF(Universidade Federal de Juiz de Fora) e mora sozinho. Assim como o xará CRT, sua rotina se divide entre faculdade e… Hearthstone, claro.. Nos momentos em que quer dar uma variada, vê futebol ou outros eSports. Quando participou pela primeira vez da Copa América, em 2015, ele não cogitava se transformar em um jogador profissional: simplesmente aconteceu. Nessa época, já pegava o Ranque Lenda sempre, e por isso decidiu participar do torneio, mas sem grandes expectativas. Lucas acabou em 1º lugar. Como ele nunca parou de estudar para se dedicar inteiramente ao jogo, a família sempre o apoiou.

Rodrigo 'Perna'
Rodrigo 'Perna'

Rodrigo ‘Perna’

‘Perna’ tentou o Magic: The Gathering e até o pôquer, mas foi por Hearthstone que se apaixonou de fato. Hoje casado e com 37 anos, se dedica aos card games. O início de tudo foi em 1996, quando começou a competir profissionalmente no Magic. Tanta dedicação fez dele um dos melhores jogadores dos anos 90. Frustrado com problemas na organização de eventos no Brasil, deixou o jogo pra trás e migrou para o pôquer. Decidiu largar o carteado em 2013 , quando uma lei americana dificultou a vida de quem joga pôquer online. Nessa época só se falava de Hearthstone, e então Perna decidiu se dedicar totalmente ao nosso jogo favorito. Com a conquista da Copa América de 2017, se tornou um dos principais jogadores em atividade.

Perna tem uma doença ocular rara, chamada de Stargardt, e por conta disso não possui a pigmentação completa da retina, o que dificulta a leitura de textos e a visualização de alguns detalhes menores. Para ele, é só mais um obstáculo a ser superado - nada que ficar mais perto do monitor pra conseguir ler as informações de alguns cards não resolva.

Votação Popular

Você deve estar curioso para saber se os três eleitos pelo público para fazer parte da equipe já esperavam o resultado... não foi bem assim: no dia do anúncio, o  'CRT' tinha certeza que o 'Perna' estaria dentro e ficou em dúvida se seria um dos outros dois a ganhar uma vaga. Ele acreditava que era possível, graças ao apoio que o seu time, a Pain Gaming, deu nas redes sociais. Quando ele ficou sabendo que tinha sido escolhido, vivenciou um dos momentos mais felizes da sua vida, que só foi superado pela própria classificação para a Blizzcon.

Já o Rodrigo 'Perna" tinha quase certeza que seria escolhido por conta da movimentação nas redes sociais, mas não conseguiu ficar tranquilo antes da confirmação muito bem vinda do resultado.

Quem sofreu mesmo foi o Neves. Ele estava na faculdade no exato momento da divulgação e o pior, sem bateria no celular. Quando ele chegou em casa, horas depois do anuncio, suas redes sociais já estavam inundadas de mensagens dando os parabéns. Minhas redes sociais estavam entupidas de mensagens me dando parabéns e eu não estava entendendo nada direito, porque achava que o resultado ia demorar mais tempo para sair, mas fiquei muito feliz.”

Time Brasileiro
Time Brasileiro

Convivência

Embora haja uma razoável diferença de idade entre os integrantes, a convivência está longe de ser um problema. Como sabemos, a comunidade de Hearthstone é uma das mais amigáveis e unidas, por isso não foi surpresa descobrir que todos os integrantes da equipe já se conheciam e jogavam juntos desde 2015.

Perna, que tem mais experiência e uma personalidade tranquila, ajuda sempre a solucionar pequenos conflitos. Com um ambiente positivo dentro do time, mesmo o garoto CRT se sente bem para propor ideias: “Todo mundo respeita todo mundo, eles me respeitam bem como player e eu respeito eles, fora do jogo eles dão uma zoada mas nada muito absurdo não, coisa de amigo”.

Todo esse respeito ajudou Rase, que cumpre o papel de capitão do time. Como os jogos eram semanais, ele combinou com os jogadores que todos deveriam entregar as listas de Decks para os próximos jogos aos domingos. Isso fez com que tivessem mais tempo para discutir as estratégias durante a semana, tudo feito em encontros via internet. Tamanho entrosamento e dedicação rendeu a classificação inédita para as finais do HGG.

A fase de grupos

A classificação veio até com certa facilidade, o que não era esperado. Não entenda errado: todos na equipe sabiam do seu potencial, mas passar invicto pela 1ª fase foi uma surpresa.

A confiança foi sendo adquirida jogo a jogo, primeiro contra a Rússia, depois contra Grécia, Singapura e, enfim, a difícil partida contra a Espanha, que definitivamente injetou a confiança necessária para a arrancada final: A vitória nos garantiria no Top 16.  A série estava empatada em 2x2 e a match era Even Warlock (nós) contra Malygos Druid (eles). Quando eles deram naturalizar e queimaram nosso Gul’dan, muita gente achou que o jogo estava perdido. Porém, conseguimos jogar de forma agressiva e vencemos a série”, relata Rase, que definiu este como seu momento favorito durante a campanha.

A única derrota durante a caminhada foi já na etapa seguinte, contra Portugal, que seria também o adversário da partida de classificação mais tarde. Apesar do primeiro resultado, o time estava confiante para a revanche, pois sabiam que o primeiro jogo havia colocado todos em confrontos de desvantagem, os chamados “bad matchups”, e que a chance disso ocorrer novamente era pequena. Não deu outra, vitória e classificação brasileira.

Blizzcon

Nossos jogadores sabem que a competição na Blizzcon será dura, mas também não negam que estão confiantes e que os brasileiros podem sonham com o título. Mesmo o jovem CRT parece pronto para enfrentar qualquer time: "Não dá pra entrar em um jogo pensando que vai perder, a gente vai lá com a mentalidade de campeão."

Rase que já disputou o mundial de PES( Pro Evolution Soccer) em 2010, será um dos poucos jogadores de esports a participar de dois mundiais por jogos diferentes. Se no futebol digital não foi possível trazer o troféu para casa, no HS parece ser um sonho possível: É igual Copa do Mundo... brasileiro sempre sonha com o título e nós estamos sonhando desde que começou a competição. Mas também sabemos das dificuldades e de que não tem nada garantido. Vamos continuar nos preparando bastante e seguir focados, pra tentar fazer esse sonho, virar realidade.”

Futuro

Conseguir se dedicar exclusivamente aos esports é um privilégio para poucos. Os jogadores da equipe brasileira ainda veem uma enorme distância entre o apoio recebido por aqui e que os jogadores de outros países recebem.

Houve de fato uma melhora significativa: todos os integrantes do time brasileiro são jogadores de times profissionais e recebem ajuda de custo para viagens e auxílio com marketing nas redes sociais, mas a pequena quantidade de campeonatos dificulta bastante. Para Neves, levar o jogo como profissão ainda é inviável: O cenário de HS está crescendo muito internacionalmente mas não tanto no Brasil, viver de HS é complicado. Você tem que se classificar para todos os HCTs tem de estar em um time para poder ter uma condição mínima”.

Embora o futuro ainda seja incerto para os profissionais do esport no Brasil, histórias e resultados como o do nosso time de Hearthstone são essenciais para o crescimento do cenário como um todo.

A fase final do HGG começa no dia 2 de novembro direto da Blizzcon. Os 8 times finalistas são: Bulgaria, China, Brasil, Hong Kong, Nova Zelândia, Noruega, Singapura e Espanha. Você acompanha tudo que rolar aqui pelo Card na Manga!


Leia mais:

- Confira os paineis e horários das novidades da Blizzcon 2018

- Blizzcon 2018: Infográfico traz dados e curiosidades dos jogos da Blizzard

A Blizzcon será nos dias 02 e 03 de novembro em Anaheim, na Califórnia, com transmissão AO VIVO! O Card na Manga estará presente no evento e fique de olho em nossas redes sociais para não perder nenhum detalhe: Facebook, Twitter e Instagram

Alguém que está na eterna busca pelo deck de Xamã perfeito!