Versão Beta
Close

E se o conjunto Clássico saísse do modo Padrão? (Parte 2)

Confira a segunda parte desta análise do conjunto Clássico!

O que aconteceria com o modo Padrão se o conjunto Clássico rotacionasse e deixássemos apenas o conjunto Básico fixo no formato? Esta é a segunda parte desta discussão sobre suas vantagens e desvantagens(Primeira parte).

O CONJUNTO BÁSICO

Agora iremos falar um pouco do que nos restaria como cards fixos no meta, mais precisamente o conjunto Básico. Na mesma entrevista com um dos desenvolvedores do jogo que comentei no artigo anterior, quando questionado sobre as vantagens e desvantagens dos conjuntos fixos no Padrão sua resposta foi simples: As vantagens de se ter algo para os jogadores que param e voltam para o Hearthstone são maiores que as desvantagens da permanência destes cards. Ou seja, eles entendem que existem problemas, mas optam por manter para que os jogadores sintam-se seguros ao comprar pacotes, pois sabem que poderam sempre contar com aqueles cards e não ficarão tão perdidos se pararem de jogar e voltarem após um tempo. Mas e se isso fosse a função do conjunto básico? Será que não seria algo mais justo para os jogadores casuais ou jogadores que não buscam investir no jogo? Por ora, vamos conferir alguns cards que nos restariam em cada classe:

Druida

No Druida ainda teríamos cards que servem como base para alguns arquétipo, cards bem fortes por sinal. Crescimento Silvestre provavelmente é o mais forte entre eles, pois não apenas acelera em um cristal de mana seus próximos turnos como também tem o valor de se reciclar quando já possuir 10 manas. Além disso, ainda teríamos Avivar para ajudar em arquétipos que precisam ter muita mana ainda cedo ou que necessite de um turno com 11 ou 12 manas para completar algum combo. Patada é outro card muito forte que ainda estaria disponível para a classe, é uma maneira de lidar com decks de swarm(Decks que enchem o campo com lacaios pequenos) e Fogo Lunar para algum arquétipo com Dano Mágico ou que precise de feitiços de custo baixo. Outro card também seria o Rugido Selvagem que, para alguma versão mais agressiva de Druida, é um card bem forte. Em resumo, a classe ainda iria possuir recursos para os arquétipos que mais jogaram, mas iria depender muito mais das novas expansões para determinar se iria ou não jogar.

Caçador

Caçador continuaria com sua sinergia com Feras e alguns de seus cards icônicos, que sempre irão levá-lo a algum arquétipo mais agressivo. Companheiro Animal, Mestre da Matilha e Comando para Matar são exemplos perfeitos disso, são cards que jogam na maioria dos decks de Caçador desde o início do formato Padrão. Lobo Silvestre, Urubu Faminto e Rinoceronte da Tundra são outros dois cards que possuem sinergia com feras, apesar de não serem tão fortes quantos os três primeiros. E por fim temos outro trio de cards que auxiliam e muito nos arquétipos agressivos: Marca do Caçador, Rastreamento e Tiro Arcano. São cards bem diferentes uns dos outros, mas eles se encaixam no mesmo arquétipo pelo fato de ajudarem a finalizar o jogo o mais rápido possível. O Caçador provavelmente iria continuar neste caminho, porém com muito mais espaço para novos cards e novas mecânicas.

Mago

Apesar do Mago perder muito cards fortes com a saída do conjunto clássico, ainda assim ele mantém uma das bases mais fortes com o conjunto Básico. Mísseis Arcanos, Seta de Gelo e Bola de Fogo sempre irá manter um arquétipo agressivos de feitiços disponível para a classe, sem falar também no Intelecto Arcano que é um dos melhores cards de compra disponíveis no jogo. Além disso, são cards que servem também em alguns arquétipos mais controles como remoção de lacaios junto com a Polimorfia que é uma das melhores remoções atualmente. Também para os decks de controle ainda teríamos a opção da Nova Congelante para impedir o oponente de causar dano ou o Golpe Flamejante para remover completamente os lacaios. Como podemos ver, o Mago é uma classe que mesmo perdendo muitos cards no Clássico, ainda vai possuir muitos recursos ao seu favor.

Paladino

Paladino é outra classe que possui muitos cards fortes em seu conjunto Básico, o único problema seria o custo dos cards pelo fato dos seus melhores cards custarem todos 4 manas. O primeiro card seria a Defensora Veraprateada, uma das melhores armas disponíveis no jogo por gerar um Tempo absurdo no início do jogo e amenizar a vida perdida em 4. O segundo card seria a Benção dos Reis que consegue criar um lacaio com status bem alto e pressionar muito o oponente, em especial contra as classes que não possuem uma maneira simples de remover lacaios muito grandes. O terceiro é a Consagração que possui a vantagem de causar dano apenas nos lacaios do oponente e também nop próprio heroi inimigo, por 4 manas é uma habilidade bem forte. Outro card que ajuda no arquétipo controle seria Humildade por ajudar a lidar com lacaios muito grandes, o maior problema que este card e outros com efeitos similares enfretam atualmente é o fato de praticamente todo deck poder utilizar efeitos de silenciar sem nenhuma punição. Com a saída do Clássico isso provavelmente iria diminuir e cards com esses efeitos voltariam a ser utilizados.

Sacerdote

Sacerdote é uma das classes que também possui um conjunto Clássico bem fraco, porém seu conjunto Básico não é dos piores. A Clériga da Vila Norte e Palavra do Poder: Escudo são cards que jogam em quase todos os decks de Sacerdote, por ajudarem a filtrar seu deck e dá um valor extra ao poder heroico. Palavra Sombria: Dor e Palavra Sombria: Morte são duas remoções que também são muito utilizadas na classe e que são bem eficientes, tirando seu ponto cego em lacaios de poder 4. A dupla Punição Sagrada e Impacto Mental são cards para algum arquétipo com sinergias de Dano Mágico, além da Punição poder ser utilizada também como remoção. Nova Sagrada, apesar de não estar sendo utilizada atualmente, é um card bem forte em Sacerdotes que utilizam muitos lacaios e sinergias com curas e por último temos o Controle Mental que sempre encontra um espaço em metas com muito lacaios grandes com Último Suspiro ou habilidades de final/início de turno. Percebe-se que o Sacerdote ainda assim teria disponível uma base para alguns arquétipos, é claro que dependendo mais das expansões em cada meta.

Ladino

O Ladino também possui um conjunto básico com cards fortes, mas não muitos arquétipos definidos. Punhalada pelas Costas, Aturdir e Leque de Facas são cards que podem ser utilizados em vários arquétipos e tem um nível de poder bem alto. Punhalada pelas Costas é um ótimo card para ajudar em arquétipos que prezam pelo Tempo da partida, assim como Aturdir que ajuda a remover lacaios com Provocar ou pelo menos atrasá-los em um turno. Estocada é um card que ajuda a filtrar seu deck em arquétipos de combo e Golpe Sinistro ajuda a tirar valor de cards com Dano Mágico, são bons cards para ajudar combos. Veneno Mortal também pode ser utilizado em qualquer arquétipo de Ladino, mas é melhor utilizado em decks que focam em tirar valor de armas. Por último temos a Disparada que é um ótimo card de comprar para se ter em decks Tempo, apesar que não teríamos mais a Preparação para fazê-lo custar menos. Em resumo, ainda teríamos bons cards para o Ladino, porém nenhum arquétipo definido somente com o conjunto Básico..

Xamã

Cards como Totem de Labaredas e Sede de Sangue ajudariam um arquétipo mais agressivo de Xamã e o Elemental do Fogo seria um card a mais se o intuito for um deck mais midrange. Um outro card disponível seria a Bagata, que é uma das melhores remoções do Padrão, e isso estimularia os arquétipos mais lentos ou de controle. Porém, somente esses quatro cards se mostram promissores no conjunto Básico do Xamã e isso pode ser preocupante a longo prazo, pois a cada expansão precisaríamos ver cards muito fortes para esta classe ou então o Xamã sempre teria uma boa chance de ficar de fora do meta. Com certeza o conjunto Básico do Xamã é um dos senão o mais fracos de todos.

Bruxo

O Bruxo possui alguns cards bons também, como Emissário do Caos, Fogo d'Alma, Espiral da Morte, Seta Sombria e Fogo do Inferno. Emissário do Caos e Fogo d'Alma normalmente são utilizados em arquétipo mais agressivos do Bruxo e quem sabe algum deck com sinergia de descarte. Seta Sombria e Fogo do Inferno ajudam os arquétipos mais controle ou midrange, são ótimos cards para remover os lacaios no início da partida. A Espiral da Morte é um card que serve em qualquer tipo de Bruxo, pois ajuda a remover lacaios e filtrar o deck ao mesmo tempo e isso é bom em qualquer que seja o deck. Fora esses cards, o restante do seu conjunto é bem abaixo do nível de poder destes cards e são utilizados em poucas situações, a exemplo do Infernal Medonho que só é utilizado no Bruxo Par pela falta de demônios nestes custos.

Guerreiro

Os cards do conjunto Básico de Guerreiro gritam apenas um arquétipo: Tempo, pelo fato da maior parte dos cards serem mais agressivos. Machado de Guerra Abrasador e Retalhador de Arcanita são boas armas para remover lacaios no início e finalizar o oponente do meio para o fim da partida e Golpe Heroico e Elite Kor'kron só adicionam mais agressividade a esse arquétipo. Já Executar é um card que funciona em qualquer deck de Guerreiro, desde os mais agressivos aos mais controle. Para os decks de controle os únicos cards que se sobrepoem são Redemoinho e Levantar Escudo, mas mesmo assim não cards nada excepcionais. Então vemos que com a saída do Clássico o arquétipo de Guerreiro Controle iria depender totalmente das novas expansões para ser viável, enquanto um Guerreiro Tempo já iria possuir uma base em todo meta. O problema é que a classe tem fama de sempre tender mais para o lado controle do que para a agressividade, então o Guerreiro seria realmente uma icógnita a cada novo meta.

Neutro

Este seria o maior problema da saída dos cards do Clássico, o simples fato de que os cards Neutros do conjunto Básico tem um nível de poder muito baixo. São pouquíssimos os cards que conseguem ser bons o suficiente para serem utilizados em decks. De todos os 43 cards Neutros do conjunto Básico apenas a Gosma Ácida do Pântano e Engenheira Novata tem sido utilizados com mais frequência. É claro que outros já jogaram ou ainda jogam em alguns decks, mas com bem menos frequência e consistência. Isso por um lado é ruim, pois a maioria dos decks iriam depender dos cards neutros das novas expansões, mas por outro lado atualmente temos uma quantidade muito grande de cards neutros do Clássico nos decks do meta o que também não é nada bom para a diversidade do meta a longo prazo. O que precisa ser feito é ponderar o que vale mais a pena: Muitos cards do Clássico jogando para sempre no meta ou a dependência de bons cards neutros nas novas expansões?

CONSEQUÊNCIAS

Ok, agora vamos falar das inevitáveis consequências da remoção desse conjunto com tantos cards que é o Clássico. A primeira coisa que vem à cabeça dos jogadores é: Como irão tapar o buraco imenso deixado no meta com a saída de tantos cards? A resposta é simples e direta: Uma expansão a mais por ano. Atualmente são três expansões por ano cada uma com 135 cards o que totaliza 405 novos cards por ano. O conjunto clássico possui atualmente 236 cards, ou seja, equivale a praticamente um terço do meta. Com a saída do Clássico e a adição de mais uma expansão de 135 cards por ano teríamos um meta com menos cards porém teríamos um espaço menor entre uma expansão e outra, isso diminuiria muito a fadiga de um mesmo meta para os jogadores que jogam diariamente. Normalmente, os dois primeiros meses após o lançamento de uma nova expansão alcançam o pico de jogadores e nos dois últimos meses antes de uma nova expansão acontece uma queda muito grande por conta do meta já estar bem estável e normalmente não há nenhuma novidade(Com exceção de nerfs que podem ocorrer). Quando mudamos para quatro expansões por ano, uma a cada três meses, existem apenas um mês de baixa no jogo que seria anulado pela revelação e hype de uma nova expansão.

Tudo isso parece perfeito, porém existe um problema para muitos jogadores casuais que seria acompanhar esse trem de novas expansões que agora estaria bem mais rápido e consequentemente, mais dinheiro precisaria ser investido no jogo para se manter a par do meta. Esse seria um problema que precisaria ser estudado com cautela para descobrir se valeria a pena ou não arriscar a perda de novos jogadores ou jogadores casuais. Qualquer mudança drástica em um jogo é um risco em potencial e seus ônus e bônus precisam ser ponderados. 

CONCLUSÃO

Para os jogadores competitivos e jogadores que entendem que os problemas atualmente no padrão vão muito além de nerfs e mover cards para o Hall da Fama, essa mudança seria excelente para facilitar no balanceamento das classes e do meta em si. Porém temos que entender que a maior parte dos jogadores são casuais e precisam ser levados em conta ao cogitar uma mudança tão drástica. Uma solução para que essa mudança fosse viável para os jogadores casuais seria a criação de um novo sistema de recompensas para jogadores novatos ou jogadores mais casuais, talvez um sistema de Conquistas que poderia dar recompensas como pacotes, ouro ou até cards. Outra maneira seriam eventos constantes com boa premiação ou desconto em criação de cards, algo assim aumentaria o número de jogadores e manteria jogadores casuais mais investidos no jogo. Em resumo, Hearthstone é um ótimo jogo com potencial de ser excelente, porém balancear qualquer cardgame é uma tarefa muito complicada e requer muita cautela. Discutir sobre o futuro do jogo e tentar pensar em mudanças para melhorar é um trabalho não só dos desenvolvedores como também da própria comunidade, que também é responsável por fazer a mensagem chegar aos ouvidos dos que podem fazer as mudanças acontecerem.

Gostaram do artigo? Dê sua opnião nos comentários ou através das nossas redes sociais:  FacebookTwitter e Instagram 

Jogador profissional e streamer.